Saturday, November 25, 2006

Tenha um slogan de vida

Just do it
Porque a vida é agora
Tenha dedicação total a você
Para conseguir isso,viva o que é bom

Experimenta ser Completo
Mas simples como a vida
afinal, sense and simplicity fazem parte dela
Lembre-se Life´s good

Think different
Invent
Viva a vida em tempo real
seja o canal do conhecimento para os outros

Qual é a sua Terra?
Aprenda viver sem fronteiras
Pode entrar que o mundo é seu

Sempre à frente

Não pense que você não é assim...uma Brastemp
Cuide-se
Você faz a diferença
Você pode ser o que quiser

Agarre a vida
Viva o novo
Ame tudo isso
Tenha muitas ideas for life

Você nasceu para voar
O melhor da vida foi feito para você
Vem ser feliz
e se precisar, conte comigo.

mas para tudo isso dar certo
Keep Walking...



Efeito Placebo

Estou um pouco preocupada com a minha saúde. Não pelo fato de estar com alguma doença. Contrário, é pelo fato de não estar! Parece que todo mundo tem alguma coisa. Rinite, sinusite, bronquite, artrite, gastrite, dermatite, tendinite, amigdalite, ites, ites, ites!!! O sufixo "ite" significa inflamação. Terráqueos sofredores de inflamação generalizada.
Já tive minhas disfunções biológicas. Aliás, você já reparou na necessidade incontrolável, que as pessoas têm, de disputar caUsos de doença? É só falar que está como uma dorzinha aqui, e pronto! "Dor na cabeça? Menina, c sabe que uma vez minha tia-avó de 5º grau teve uma dor de cabeça e não foi ao médico. Depois de 3 dias a cabeça dela começou a crescer!". Aí vira uma competição. Ganha quem teve mais parentes mortos, mais incisões cirúrgicas, mais cicatrizes, mais conhecidos que viraram aberrações da natureza. Será que virou status social? O ser humano mais problemático vira o mais admirado.
E nessa onda eu fiquei um pouco neurótica. Esses dias reparei na minha pinta em alto relevo. Isso já bastou para pensar em procurar um médico, analisei se a pinta estava com uma cor diferenciada, se eu peguei sol. Enfim, todas aquelas dicas típicas de revistinhas sobre saúde. E também reparei que o lado esquerdo, atrás da minha orelha, mais precisamente perto do lóbulo, tem um osso maior. Quando aperto, dói bem pouquinho. Enfim, depois de 15 minutos pensando sobre o meu osso maior e a minha pinta, mudei o foco. Afinal, odeio ir ao médico, não tenho a mínima paciência. E resolvi seguir o conselho de mãe -" Manhê, dói quando eu aperto. - Então não aperta." Perguntei pra minha mãe se deveria ir me consultar. Ela respondeu que não, porque se fosse, poderia achar alguma coisa de errado. Adoro os conselhos dela.
Mais médicos deveriam adotar o método "efeito placebo". A pior doença do ser-humano é acreditar que está doente. Está com dor de cabeça? Dor nas costas? Dor no estômago? Tome um comprimidinho de açúcar que logo melhora.

Wednesday, November 15, 2006

Um breve desabafo

Sabe quando você tem certeza de tudo e de repente não tem certeza de mais nada? Sabe quando tudo que era certeza virou uma enorme dúvida? E aquela dúvida virou uma simples certeza? É confuso mesmo. Nossa cabeça é assim. Bom, pelo menos a minha é.

Odiar uma coisa e agora amar a mesma coisa. Curtir fazer algo e de repente ter desânimo total desse mesmo algo.O que é bom agora está ruim e já nem sei mais o que é bom. O que é felicidade? Ai que insuportável essa pergunta, parece aquelas pesquisas estapafúrdias do Fantástico. Fazem um auê pra mostrarem a grande pesquisa revolucionária sobre a espécie humana. Duvido. Entrevistaram 5 pessoas, entre mendigos e milionários, aí já são 2 pessoas, e pronto. Resultado: o brasileiro é um povo feliz! Ou, não é feliz, precisa ser mais. Ou, é um povo criativo porque é feliz. Ou, é infeliz e por isso é criativo. Enfim, todas essas respostinhas que não vão mudar em nada a minha vida.

Já escrevi sobre rotina, silêncio, felicidade. Mas isso tudo ainda paira sobre o meu cérebro. Como se minhas terminações nervosas fizessem sinapses em menos tempo habitual e corressem contra 0 tempo para transmitir o impulso nervoso. Estou ficando nervosa.

Ando com preguiça de falar. Preguiça de pensar eu já tive, mas é tão legal pensar que não tem como. É "sair do lugar sem tirar os pés do chão", adorei isso, foi uma mulher na fila da lotérica quem disse. Escutei e anotei. Não ia jogar em nada de megasena, supersena, incrívelsena, só estava fazendo companhia pra algumas pessoas. Acho uma babaquice esses joguinhos. Não ganha mesmo. Desculpe a conformação, mas é sério.

Você entendeu o que eu quis dizer? Nem eu. Estou confusa. Enfim, agradeço a atenção. Foi apenas um texto desabafo. Tchau. Estou indo pra Bienal, cujo o título é "como viver junto". Vou praticar minha individualidade indo sozinha, uma boa maneira de treinar o contexto do tema da exposição.
Ok. Isso foi sarcástico.