Tuesday, July 29, 2008

Uma hora eu chego

Tenho um jeito assim, meio distraído, como quem anda olhando um ponto fixo imaginário. Procrastino muito, até o ponto imaginário. Preguiça de olhar ao redor, vendo sempre os outros mesmos pontos nada imaginários. Deixa pra depois, quero andar assim meio de lado, meio de costas. A verdade é que eu nem sei o caminho. Por isso, sigo o ponto. Já desisti de perguntar aonde fica. Cada um me explica de um jeito. Vire a direita. Vire a esquerda. E eu continuo seguindo reto. Paro e acredito em tudo. Paro e desacredito em tudo. Mais alguns quilomêtros tranformados em esperança. Mais alguns quilomêtros tranformados em angústia. Bate uma tristeza e de repente uma alegria. Saio correndo quando ela vem. Água para hidratar as idéias. Comida para engordurar o seco imaginário. Uma hora eu chego.
Aonde, eu nem sei.

Tuesday, July 15, 2008

Escrever é com o tempo


É a alma crescente que vem à tona na sua forma mais bela ou odiosa e, sempre, surpreendente. Despindo o âmago. Perdendo a vergonha de trazer uma conexão perfeita entre sílabas, frases e parágrafos. São as rugas contadoras de histórias tocantes, marcando a expressão sonhadora. Amadurecer, sem o medo da criação com o íntimo. Doar-se como quem ama. Como o tempo de luto colocando as coisas no lugar e consolando a vida, completando a alma. O papel vai gravando a essência do criador, documentando toda a sua evolução.

Tuesday, July 01, 2008

Interrogação tomou lugar do ponto

Conhecer quem?
Chamo de meu bem?
Falo nhem nhem?
Cruzo os braços?
Presente com laços?
Falo muito? Ou pouco?
Como um rouco?
Fecho a cara?
corta ou apara?
Qual caminho?
Tá pertinho?
O que eu penso?
Fico tenso?
hipertenso?
propenso?
filhos?
ladrilhos?
espartilho?
Casar com quem?
Se for, amém?
Compro um cachorro?
aprendo barroco?
Escrevo por hobbie?
Leio Robbie?
tiro o trauma com freud?
compro um ipod?
vou para sarajevo?
escrevo?
cumpro a pena?
fico com pena?
transtorno obsessivo?
ou compulsivo?
tomo chá de sumiço?
ou fica por isso?