Monday, March 16, 2009

Claustrofobia

Impotência me aflige. Tão sufocante. A bolha nunca estoura e o ar diminui cada vez mais. Se fosse apenas uma parte da minha vida, mas não é. A claustrofobia está em tudo. Vou até onde eu posso. A minha missão é essa. Ir até o limite. Mas o problema é esse. Existe o limite.
Consigo melhorar. Atraio energia positiva. Depois, sem resolver, a negativa. Angústia.
Gas carbônico. Barulho. Rejeição. Má educação. Oligarquia.
Extremamente sufocante. Sigo, até aonde posso ir.
Até aonde posso ir?
Esse sentimento de impotência toma o meu ser aos poucos. Cada vez mais perco o que consegui. Ocorre o efeito inverso.
De tanto ir, pára.

Monday, March 02, 2009

Dog, é tudo culpa do sistema!


Lá estava o meliante, cor preta e branca, quatro patas. Saquinho mucho, devido a operação na qual retirou seus órgãos responsáveis por perpetuar a espécie. Estatura baixa. Tosa nº 10. Rabo e cabeça com maior presença de pelugem. Autuado em flagrante. Delito: não fazia uso de coleira. Andava livremente no parque Villa Lobos. Um risco iminente. Quantos dedinhos de crianças foram salvos! O meliante foi interceptado por uma autoridade, na qual lhe advertiu sobre o desrespeito a Lei Federal. Lei desconhecida pela espécie canina e pelos humanos que acompanhavam suas pegadas. Optou por não ser um rebelde, apesar de sua alma contestadora. Então, obedeceu. Deixou ser carregado pelo duas patas que o seguia.

O meliante não foi preso, mas luta até hoje contra a Lei Federal.